CIVISMO, CIVILIDADE, CIVILIZAÇÃO

 


 

Por Alberto Bittencourt

Meu avô, que foi quem me criou, sempre dizia: “Os princípios de cidadania se aprendem e se praticam desde cedo, em casa, na escola, na sociedade”.

Ele me ensinou, pelo exemplo, a respeitar o próximo, a seguir limites e regras do convívio social, a ter disciplina comigo mesmo.

De origem humilde, o general Amaro Bittencourt galgou os mais altos postos da carreira militar, desprovido de ambições pessoais, mas eivado de amor à Pátria, ao Exército, à Família. Em homenagem e agradecimento aos brasileiros de sua extirpe, para quem a prática da cidadania é algo normal e natural, dedico o presente artigo.

 

Os princípios da cidadania constituem o conjunto dos direitos e deveres do homem. Eles  formam o que se chama de cidadão. É onde a política se distancia da ética ou moral.

O que é ser cidadão? É ser membro  de um Estado, ou de uma sociedade politicamente organizada. O cidadão participa do poder soberano do Estado, o que lhe confere direitos específicos e se mantém submisso a esse mesmo Estado, o que lhe confere deveres específicos.

 

Os deveres do cidadão se apóiam no tripé: civismo, civilidade, civilização.

 

Civismo é aquilo que cada um de nós deve ao Estado ou ao povo soberano do qual fazemos parte. O civismo está entre os mais importantes deveres do cidadão. Significa não apenas se submeter à lei, que é o mínimo que se poderia exigir, mas ainda zelar pela sua elaboração, pela sua aplicação, pela sua proteção. Todo cidadão deve lutar democraticamente para transformá-la caso a julgue má ou injusta. é o que se chama de civismo.

 

A civilidade é outra coisa: ela implica em se submeter às mínimas regras do convívio social. Está mais ligada à moral e à ética do que à política, o que a faz ser tão necessária. Ela não bastaria ao civismo, mas o civismo sem a civilidade, não seria senão uma abstração.

Civilização, aqui empregada no sentido  de  polidez, boas maneiras ou boa educação, se refere ao relacionamento entre indivíduos.  Está ao lado do refinamento, da distinção, do comportamento cortês e atencioso. Ser uma pessoa respeitosa, responsável e uma companhia agradável é dever  do ser civilizado.  A polidez se situa nos encontros, é mais uma conduta moral que coloca o egoísmo no seu devido lugar, 

 

Em resumo:

 

Civismo: é o que se deve ao Estado, isto é, à sociedade politicamente organizada.

Civilidade é o que se deve à coletividade, a quem vive no Estado.

Polidez é o que se deve ao indivíduo.

Os deveres do cidadão nunca foram tão vilipendiados como nos dias de hoje: 

 

_ O civismo  necessita ser urgentemente restaurado.

_A palavra civilidade está cada vez mais rara. 

_A falta de polidez se expande com grande velocidade. 

São males de nossa época,  sintomas de uma sociedade doente.

A falta de civismo é negar o estado de direito, pode ir do delito ao crime.

A falta de civilidade ou "incivilidade"  é uma distorção comportamental. é negar os outros, negar a sociedade.

A falta de polidez ou "impolidez" não é senão a falta de educação. é no fundo a negação de si mesmo.

Enquanto a impolidez se expressa pela falta (de atenção, de respeito, de delicadeza, de educação), a incivilidade se expressa pelo excesso (de egoísmo, de vaidade, de violência, de brutalidade, de egocentrismo).

 

Por exemplo:

 

_Fraudar o fisco é falta de civismo.

_Insultar o fiscal é falta de civilidade.

_Deixar de transmitir um recado é falta de polidez.

_Perturbar os visinhos com um som ensurdecedor é falta de civilidade.

_Falar aos berros no celular dentro do elevador é falta de civilidade.

_Não se desculpar quando involuntariamente se esbarra em alguém é falta de polidez.

_Furar a fila de espera é falta de civilidade.

_Deixar de dizer "por favor" ou "obrigado" é falta de polidez.

_Avançar o carro pelo acostamento ou estacionar em locais reservados aos idosos é falta de civilidade.

_Estacionar o carro prendendo outros carros é falta de civilidade.

_Não respeitar os professores é falta de civilidade.

_Adquirir produtos contrabandeados ou pirateados é falta de civismo.

_A recente invasão das reitorias das universidades federais por estudantes em sinal de protesto é falta de civismo.

_Acumular cargo de Ministro de Estado com o de presidente de partido político é falta de civilidade.

 

Vê-se que as fronteiras dos deveres da cidadania são tênues. Todas têm em comum deixar de manifestar o respeito que uns devem aos outros. Todas ultrapassam os limites do comportamento ético e responsável.

 

Civismo, civilidade, civilização: três deveres, três maneiras de viver em coletividade. Eles são muito necessários. É o que se chama, ou se resume como cidadania.

 

É na cidadania onde se encontram os direitos e deveres do homem. é na cidadania que se forma a base da civilização de hoje. O contrário da cidadania é a barbárie.


 << Voltar para Articles
Copyrigth © 2007 Todos Direitos Reservados