China e Índia avançam sobre a América Latina


O estabelecimento de relações diplomáticas entre Costa Rica e China Continental, recentemente feito, após 61 anos de vínculos com Taiwan, implica em dificuldades com projeções regionais e, mesmo, globais.

A América Latina é o campo principal do enfrentamento entre a Repúplica da China (Taiwam) e a República Popular da China (Pequim).

A China Continental e Taiwan construiram de fato um triângulo com a América Latina e o Caribe (ALC), onde lutam por suas divergentes afirmações sobre legitimidade de governos nacionais para a China, desde 1947.

Isto reafirma o objetivo chinês comunista sobre a reunificação, combinando recursos políticos, econômicos e militares para aumentar o isolamento internacional de Taiwan.

Desta forma, a China rompe a "diplomacia de bloco" que os países centroamericanos haviam adotado em relação à República da China (Taiwan).

Finalmente, ressalta a importância dos atores econômicos neste jogo complicado de xadrez diplomático.

A Índia, que é o segundo país mais povoado do mundo, e a segunda economia em desenvolvimento, também busca estreitar vínculos com a região.

Assim, a América Latina, especialmente a chamada América Central, parece estar no centro de estratégias globais de empresas e governos da China e da Índia, na procura de novos mercados, acesso a fontes de matérias primas e exportação de serviços, em singular sintonia com os interesses dos Estados Unidos.